Veja os 10 piores vírus já criado por hackers da história

0

Você sabe quais foram os piores vírus já criado por hackers da história? Dependendo da sua idade, talvez você não tenha ouvido falar de todos, mas não tenha dúvidas, que você vai ficar horrorizado com essa lista.

Ao longo dos anos, surgiram muitos vírus para computadores, alguns com a única intenção de destruir sistemas, outros com intuito de roubar informações e chantagear para ganhar dinheiro. Neste artigo, vamos trazer uma lista com os 10 piores ataques de hackers da história feito através de vírus. Vamos lá?

Os 10 piores vírus já criado por hackers da história

1. Morris worm

O Morris worm ou Internet worm foi um dos primeiros worms distribuídos pela Internet; trata-se também do primeiro worm a receber atenção da mídia. Ele foi escrito por Robert Tappan Morris, estudante da Cornell University e para despistar sua origem, foi disseminado a partir do MIT em 2 de Novembro de 1988. Curiosamente, hoje Robert Morris é professor do MIT.

2. ILOVEYOU

ILOVEYOU  foi um vírus de computador que afetou mais de 50 milhões de computadores Windows em 5 de maio de 2000. Seu nome oficial é “LOVE-LETTER-FOR-YOU.txt.vbs” (sendo essa última extensão .vbs escondida por padrão pelo Windows) e sua abreviação é ILOVEYOU. O vírus teve origem nas Filipinas, e espalhou-se via e-mail. O worm danificava a máquina local e mandava uma cópia de si mesmo para todos os contatos do usuário no Outlook.

3. Code Red

O worm Code Red aproveitava-se de uma vunerabilidade de estouro de buffer dos servidores Microsoft IIS e se replicava para outros servidores IIS (buffer é uma região da memória temporária utilizada para escrever e ler dados antes deles serem guardados permanentemente). Quando acontecia o estouro do buffer, o servidor desligava. Os sites guardados nesses servidores, que foram afetados pelo worm, passavam então a exibir a mensagem “Hacked by Chinese!” (“Hackeado por Chinês”, em tradução literal).

O nome Code Red surgiu quando os pesquisadores da eEye Digital Security descobriram o worm, e naquele momento estavam tomando uma bebida chamada “Code Red Mountain Dew”. O seu criador é desconhecido e provavelmente originou-se na China.

4. CIH

O vírus CIH, também conhecido como Chernobyl, foi um dos vírus mais devastadores já conhecidos. Diferentemente dos outros vírus que causam danos leves e só se reproduziam, esse vírus literalmente destruía todos os dados do computador. Em alguns casos, até destruía os dados da BIOS, transformando qualquer PC em sucata. Seu poder de se propagar foi neutralizado com um update da Microsoft, já que ele atacava apenas versões antigas do Windows, como o 95, 98 e Millenium.

5. Conficker

O Worm/Conficker é um tipo de Worm que tem como objetivo afetar computadores dotados do sistema operacional Microsoft Windows, e que foi primeiramente detectado em outubro de 2008. Uma versão anterior do worm propagou-se pela internet através de uma vulnerabilidade de um sistema de rede do Windows 2000, Windows XP, Windows Vista, Windows Server 2003, Windows Server 2008, Windows 7 Beta e do Windows Server 2008 R2 Beta, que tinha sido lançado anteriormente naquele mês. Não é fácil combater o worm através de operadores de rede e da atuação de meios legais devido ao seu uso combinado de técnicas malware.

Embora a origem do nome “conficker” não seja conhecida com certeza, especialistas de internet e outros especulam que seu nome seja um portmanteau alemão, fundindo o termo “configurar” com “ficken”, uma palavra de baixo calão em alemão.

6. Stuxnet

Stuxnet é um worm de computador projetado especificamente para atacar o sistema operacional SCADA desenvolvido pela Siemens e usado para controlar as centrífugas de enriquecimento de urânio iranianas. Foi descoberto em junho de 2010 pela empresa bielorrussa desenvolvedora de antivírus VirusBlokAda. É o primeiro worm descoberto que espiona e reprograma sistemas industriais. Ele foi especificamente escrito para atacar o sistema de controle industrial SCADA, usado para controlar e monitorar processos industriais.

O Stuxnet é capaz de reprogramar CLPs e esconder as mudanças. O vírus pode estar camuflado em mais de 100 mil computadores, porém, para sistemas operacionais domésticos como o Windows e Mac OS X, o worm é inofensivo, só funciona efetivamente nas centrífugas de enriquecimento de urânio iranianas, já que cada usina possui sua própria configuração do sistema SCADA.

7. Melissa

Criador POR David L. Smith, ano de 1999. O nome curioso desse vírus vem de uma dançarina de boate que trabalhava na Flórida, na qual o criador do vírus, David L. Smith, gostava. O vírus desligava todos os sistemas de e-mails por onde os e-mails infectados com o vírus passavam. Inicialmente ele foi usado em arquivos que continham senhas de sites pornográficos, como documentos do Word.

8.  Sasser

O Sasser também atacou várias máquinas com o Windows. Para isso, usou uma vulnerabilidade de segurança na porta de rede, conectando-se a outras máquinas e se espalhando pela Internet. Só que não foi por isso que ele ficou conhecido.

O worm afetou várias empresas, como a Delta Airlines, que teve que interromper seus voos por conta da infecção. A Guarda Costeira da Inglaterra teve seus serviços de mapas interrompidos, e a agência de notícias France-Press também teve as suas comunicações com os satélites interrompidas.

9. Blaster

O worm foi criado com a intenção de atacar os sistemas Windows da Microsoft. Além de atacar o sistema operacional, o worm continha a seguinte mensagem para a empresa: “Billy Gates why do you make this possible? Stop making money and fix your software!!” (em tradução literal: “Bill Gates por que você fez isso ser ‘possível’? Pare de fazer dinheiro e corrija seu software!”).

10. WannaCry

WannaCry é um crypto-ransomware que afeta o sistema operativo Microsoft Windows. A sua difusão a larga escala iniciou-se a 12 de maio de 2017 através de técnicas de phishing, infectando mais de 230.000 sistemas. Organizações como a Telefônica e o Serviço Nacional de Saúde britânico foram afetadas, juntamente com outras operadoras de telecomunicações, empresas de transportes, organizações governamentais, bancos e universidades. A Europol qualificou o seu impacto como «sem precedentes»

A ameaça utiliza técnicas de exploração alegadamente desenvolvidas pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos. Uma correção crítica para a vulnerabilidade (em sistemas operativos com suporte) foi publicada a 14 de março de 2017. Atualizações de segurança para Windows XP e Server 2003, não suportados pela Microsoft, foram também lançadas em resposta a esta ameaça.

VEJA TAMBÉM:

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.